Arquivo do autor:Estaleiro Kalmar

Reformar ou comprar um barco novo?

2014-03-19_16-00-17_5329e941406b8.jpg

Quem tem um barco de madeira há muito tempo, sabe: é como mais uma pessoa querida da família. Você conhece cada risco do deck, reconhece de longe todos seus pequenos ruídos, sabe exatamente a hora e o ângulo que ele vai adernar de acordo com a maré. Mas como tudo na vida, chega a hora em que a passagem do tempo torna-se mais visível, mais presente, e é quando a dúvida se instala: reformar ou comprar um barco novo? A manutenção correta e regular pode estender a vida da embarcação, mas será que a reforma ainda vale a pena?

Coloque todos os fatores na balança

Para decidir entre a reforma e a compra de um novo, é importante levar em consideração alguns fatores. O primeiro deles é o investimento financeiro frente à condição do barco, seu desgaste, o estado dos componentes e equipamentos. Em alguns casos, é possível fazer a restauração de embarcações antigas em relação à pintura, interior, recuperação de decks e modernizações.

Avalie, portanto, o tipo de danos que o barco apresenta, a quantidade de madeira apodrecida e se há danos estruturais – neste caso a reforma indicada deve ser completa. Dependendo do tempo de uso e o tipo de reforma, pode ser melhor deixá-lo descansar de vez e investir seus recursos e segurança em uma nova embarcação.

Tenha seu barco totalmente personalizado fabricado por experts

Por outro lado, ao comprar um barco novo de madeira, você pode ter a oportunidade de produzi-lo inteiramente personalizado, de acordo com o seu gosto e estilo de vida – e ainda com design vintage, se quiser manter o ar retrô das suas horas de lazer.

No Estaleiro Kalmar, por exemplo, que presta ambos os serviços de restauração e construção sob encomenda, equipes especializadas têm a expertise de mais de 30 anos em construção de barcos de madeira com o que há de mais moderno em equipamentos. As equipes próprias de marceneiros e pintores somam-se parcerias valorosas nas áreas de layout, engenharia, capotaria, peças em inox, estofados e vários outros tipos de acessórios e equipamentos.

É a oportunidade de ter uma embarcação feita através de processo totalmente artesanal, com estética retrô, equipamentos modernos, interior sofisticado e materiais de primeira qualidade. Converse com a equipe do Kalmar e descubra a melhor opção para manter sua vida navegando. Talvez seja essa a hora de começar a construir uma nova história de aventuras com um novo parceiro, renovando seu próprio fôlego alimentado pelo vento.

Quer saber mais? Não deixe de acessar o site do Estaleiro Kalmar e conhecer melhor esse requinte! 

Canoas proporcionam lazer e aventura para todas as idades

destacada1.jpg

Quando o sol bate de mansinho na água é que se percebe que a paz tem seu som próprio, feito de silêncio. É fechar os olhos levantando a cabeça em direção ao céu e respirar profundamente, porque você sabe que está tudo em seu lugar. Não chega a ser difícil imaginar o impacto que a sensação deve ter causado nos primeiros canoeiros, aqueles que, a princípio por necessidade de locomoção, tiveram a ideia de usar um pedaço de madeira boiando para atravessar um lago ou resgatar alguém da água. Do tronco de árvore para essa que foi a primeira embarcação humana, a remada deve ter sido curta: há registros arqueológicos de restos de canoa em madeira esculpida de 8 mil anos. Hoje, as canoas canadenses, inspiradas nas originais desenvolvidas pelos índios há 125 anos, são sinônimo de charme e beleza, com seu belo casco de madeira refletindo um verdadeiro estilo de vida.

Continuar lendo

Como é a fabricação de um barco artesanal?

P1040101.jpg

Poucas coisas mexem tanto com o imaginário quanto um belo barco navegando em águas silenciosas. Quando a embarcação é produzida artesanalmente, o valor agregado aumenta ainda mais, seja pelo esmero e atenção devotados a cada pequena parte do processo, pela história por trás da técnica ou pela qualidade dos materiais empregados. Mas você conhece todas as etapas da fabricação de um barco artesanal? Para quem está habituado a ver apenas o produto pronto, saber como cada parte do nascimento de uma embarcação dessas é levada a cabo é presenciar verdadeiros momentos de criação.

Trabalho começa antes de o projeto sair do papel

Cascos, cabines, decks, interiores. Um conjunto de peças e ambientes que dão forma a sonhos, são capazes de encher os olhos d’água e refletir um estilo de vida. Para chegar ao resultado final, no entanto, as etapas são muitas e o tempo varia de acordo com a complexidade do projeto, o tipo de barco, o talento dos envolvidos e os métodos utilizados.

De uma forma geral, a primeira parte do processo é o design, que define a sua aparência, parte estética, tamanho e todas as especificações, como os materiais que serão empregados. Em um segundo momento há o planejamento, quando são determinadas, uma por uma, as demais fases da construção.

A terceira fase é a parte da coleta de materiais. É nessa etapa que é feita a escolha da nobreza dos materiais empregados, como tipos raros de madeira, acessórios vintage ou qualquer componente que seja mais difícil de obter – e que por isso mesmo valorizam ainda mais o resultado final. Apenas depois de todo o material coletado é dado início à fase de construção do barco.

Construção: toda atenção inicial é dada ao casco

Uma vez de posse de todo o material necessário, a construção do barco artesanal é iniciada pelo casco. A etapa começa com o esforço para dobrar e moldar a madeira laminada de forma que fique parecida com uma caixa torácica.

Para isso, a técnica mais utilizada é a “cold molded”, capaz de criar estruturas ao mesmo tempo fortes, resistentes e duráveis, mas também leves e eficientes. Ela é feita através da laminação com várias camadas de madeira agrupadas e talhadas nas proporções adequadas de forma que o acabamento seja impecável, com emendas praticamente invisíveis, mesmo nas áreas com pouco acesso visual, como o costado interno e o porão.

A madeira laminada é então colada e impregnada com resina epóxi, um preparado especial utilizado nas embarcações do Estaleiro Kalmar, que empresta não apenas impermeabilização, mas também um perfeito acabamento. Além desses, é aplicado ainda verniz marítimo que garante ainda mais resistência e durabilidade à peça.

Acabamentos da embarcação

Depois de o casco estar pronto, são colocados os demais itens, como bancos, controles e acabamentos – pisos, estofados, deck se houver e também os acessórios. Assim como o casco, esta também é uma importante parte da fabricação de um barco artesanal, emprestando identidade à embarcação. No Estaleiro Kalmar, um dos mais tradicionais do país, a equipe de artesãos altamente qualificada em construção naval preza pela qualidade em cada mínimo detalhe, fazendo com que cada embarcação saída de suas instalações pareça ter vida própria.

Além da produção de verdadeiras obras de arte artesanais, o Kalmar também realiza serviços de manutenção e restauro, como recuperação de pinturas, decks, interiores e embarcações antigas em sua totalidade, assim como produz a sua modernização se necessário ou desejado.

Quer saber mais sobre os barcos artesanais do Estaleiro Kalmar? Clique aqui e descubra tudo sobre esse mundo de beleza e requinte!

História e tradição: conheça o veleiro clássico Aileen

2EeXwLyN.jpg

Os veleiros clássicos são exuberantes não somente pela sua beleza, como também pela sua história. Eles formam parte da tradição náutica, sendo que ao longo do tempo, apareceram vários barcos à vela que despertaram a admiração das pessoas apaixonadas pelas atividades náuticas. Um veleiro de madeira é constituído por uma estrutura clássica que permite voltar no tempo e reconhecer nela a sofisticação e o requinte dos barcos tradicionais.

A beleza e a funcionalidade dos barcos a vela permitiram que estes participassem de regatas. As regatas de veleiros são um momento único em que há total conexão entre o velejador, tripulação e mar. Nestes encontros, é possível observar os mais bonitos veleiros clássicos, inclusive modelos de veleiro antigo.

Aqui no Brasil, a Regata de Veleiros Clássicos é o maior evento que reúne veleiros desse estilo. É um evento maravilhoso em que é possível ver os mais conceituados veleiros desafiando-se em uma animada competição.

A primeira edição do evento nacional ocorreu em dezembro de 2006 e foi um grande sucesso. A partir de então, a competição tornou-se anual e foi tomando proporções maiores ao contar com a participação de veleiros internacionais. Esta é a prova de que acontecerão muitas outras edições para a alegria dos velejadores entusiastas.

O veleiro clássico Aileen

Quem gosta das aventuras do mundo náutico, adora ouvir histórias sobre veleiros famosos, um destes clássicos dos mares é o Aileen. O veleiro com 102 anos de existência guarda histórias incríveis desde a sua idealização. Que tal conhecer um pouco da sua trajetória?

O veleiro Aileen pertence a classe dos 6 metros e é considerado um dos barcos mais antigos ainda em uso no país. Há gerações ele pertence a família Grael. Comprado no ano de 1929 por Preben Schimidt -avô de Lars, Axel e de Torben Grael- o barco de 4 toneladas e 9,70 metros abriga histórias desde que foi construído em 1911 por Wener Hansen.

No ano seguinte à sua criação, o veleiro clássico participou das Olimpíadas de Estocolmo, onde o veleiro e o comandante Hansen ficaram em segundo lugar, conquistando medalha de prata e iniciando uma trajetória de muitas aventuras.

Desde que foi construído, o Aileen tem participado de dezenas de regatas. Além delas, o seu proprietário Preben sempre fez questão de mantê-lo ativo e a melhor forma de fazer isso era reunindo a família em velejadas e passeios, algo que Schmidt adorava. Após a morte de Preben Schmidt em 1977, o Aileen ficou aos cuidados de Erick Schmidt (tricampeão mundial). Em 1990, Torben Grael decidiu reformar o veleiro de forma que ele pudesse voltar às regatas.

Depois da reforma, o barco voltou à plena atividade participando inclusive da Regata Preben Schmidt, que é realizada anualmente. Além de ser uma bela homenagem ao patriarca da família Schmidt Grael, a Regata é um importante evento realizado no intuito de prestigiar os modelos clássicos de veleiros que ainda estão ativos no país.

Como é possível perceber, o amor pelo Aileen foi passando de geração à geração. Hoje, o veleiro permanece forte e é motivo de orgulho para a família Grael.

Um veleiro clássico merece cuidados especiais

Normalmente, os veleiros clássicos são produzidos em madeira. Por isso, algumas avarias podem ser detectadas ao longo dos anos. Para suprir qualquer necessidade em termos de restauração ou reparo de barcos a vela, é indispensável contar com uma empresa séria e especialista na área. Uma alternativa maravilhosa é contar com o Estaleiro Kalmar.

São anos de experiência oferecendo barcos da melhor qualidade. Além dos produtos exclusivos fabricados por uma seleta equipe de profissionais, o Estaleiro disponibiliza a linha Service. Esta linha está composta por serviços de pintura, restauros e recuperação das diversas partes das embarcações. Estas atividades são realizadas por marceneiros, pintores e demais especialistas que possuem vasta experiência no setor, entregando um barco com identidade renovada com alto grau de precisão.

 

Acesse o site do Estaleiro Kalmar e confira os serviços disponibilizados por nossa empresa.

Pode apostar: Estilo clássico para veleiros

195075_327057_atrevida.aline_-e1384448873572.jpg

A identidade de um carro clássico ou de um barco tradicional é muito grande, além de ser valiosa. No que se refere aos carros, os modelos mais antigos e que fizeram sucesso na época, hoje são consideradas peças únicas e raras, conferindo-lhes assim, um valor inestimável.

Além dos carros clássicos, outras máquinas motorizadas que chamam muita atenção no seu estilo clássico são os veleiros. Eles são considerados como os donos do mar quando o assunto envolve o sentimento de tradição e volta ao passado em busca de emoções fortes e do requinte das embarcações. Sobre os veleiros, é necessário considerar que para ser considerado clássico eles precisam conter certas características e detalhes próprios do estilo.

O que é um veleiro clássico?

Continuar lendo

Lobster Boat L35, um barco para quem gosta de tradição

2kWCLyVx.jpg

A pesca esportiva é uma atividade prazerosa que atrai um grande número de pessoas, que da mesma forma que você, estão em busca de um tipo de entretenimento que alie encantadoras horas de convivência familiar e a tranquilidade que só o mar pode oferecer.

A pesca esportiva é fantástica, pois ao mesmo tempo em que você está fazendo o que gosta, está mostrando respeito pela natureza e pela continuação da pesca desta modalidade. Devolver os peixes ao seu habitat para que a natureza siga o seu curso é a prova que você valoriza o meio ambiente e que busca manter a tradição da pesca desportiva. É claro que horas a bordo, ainda que seja pela atividade pesqueira sustentável, pode ser um tanto complicado quando não se conta com uma embarcação que proporcione comodidade. Por isso, é extremamente importante o tipo de barco que se usa para este fim.

Continuar lendo

Sunday Times Golden Globe. A primeira regata volta ao mundo solitário

Foto: Bill Rowntree PPL

Não há dúvidas de que velejar é uma atividade prazerosa, quando se está em alto mar, a sensação de liberdade é indescritível. Passar horas e horas tendo somente o mar como vizinho, faz que pessoas assim como você, que gostam de viajar, assumam o controle de um veleiro e empreendam viagens incríveis. Mas e se esta viagem for em solitário, você se arriscaria?

Continuar lendo

4 razões para optar por um barco de madeira ao invés de fibra

4-razões-para-optar-por-um-barco-de-madeira-ao-invés-de-fibra

As embarcações de madeira são extremamente tradicionais e fazem parte da relação do homem com o mar há séculos. É um material extremamente confiável e eficaz para esse propósito e não é à toa que perdura por tanto tempo na fabricação de barcos. No entanto, especialmente nos últimos anos, a fibra veio ganhando espaço como componente principal da estrutura de muitos barcos, mas a verdade é que muito de sua fama se deve a diversos mitos que foram espalhados por aí. A verdade é que a madeira ainda hoje é a melhor matéria-prima para a fabricação de embarcações e deve ser a primeira escolha de quem deseja adquirir a sua. Quer descobrir as principais razões para optar por ela sem medo? Confira no texto a seguir:

Continuar lendo

Conheça os prazeres dos barcos a vela

k8-destacada.jpg

Já pensou em navegar contra o vento, de verdade? Quem já parou para assistir a uma regata ou observar o colorido de uma vela de encontro à linha do horizonte com certeza já se imaginou lá no meio azul, cercado pelo barulho gostoso do mar e por boas companhias – ou sozinho com seus pensamentos e planos para o futuro. É, velejar é um privilégio que, ao contrário do que muita gente pensa, não é para poucos, não.

São 10 mil quilômetros de costa brasileira à sua disposição e tudo o que você precisa é vontade de aprender a ler o vento para saber o melhor ajuste da vela, compreender a tábua das marés para saber a hora certa de ir e voltar, e aí ter uma perspectiva completamente diferente do mundo cada vez que a vela for hasteada. Porque o seu veleiro está aí, esperando que você o tire do estaleiro para viverem juntos grandes aventuras.

Para começar, basta ter vontade

É verdade que há vários tipos de barco a vela, que nas competições são separadas por categorias, mas os princípios básicos das manobras são os mesmos para todos os veleiros e você pode aprender a velejar em qualquer idade, dos 8 aos 80 anos.

Por isso, na iniciação à vela, você não precisa se preocupar com um tipo especial de embarcação: tudo o que você tem a fazer é procurar um clube que tenha escola de vela cadastrada na Confederação Brasileira de Vela (CBVela).

Depois que você aprender a navegar a vela, poderá optar pelo tipo e tamanho de veleiro no qual quer se aventurar, e isso vai depender de quais são os seus objetivos: lazer, passeios mais curtos ou mais longos, número de pessoas que você quer levar ou até competições.

O vento e a vela, seus dois maiores amigos

Sim, eles serão seus companheiros constantes e você deve encará-los como seus dois maiores amigos. Você deverá fazer com que essa relação esteja sempre em harmonia, um aproveitando o que o outro tem a oferecer, e por isso conhecê-los a fundo é essencial, como em qualquer amizade.

Conforme o grau de intimidade for crescendo, você os chamará por vários nomes, criando uma linguagem própria entre vocês: barlavento (o lado de onde o vento sopra), sotavento (o lado para onde o vento vai), colocará o barco na bolina (quando o vento sopra pelas amuras, ou seja, o bordo que recebe o vento), vai orçá-lo suavemente (quando a proa se aproxima do vento) ou arribar (quando a proa se afasta) iniciando uma nova conversa mais adiante.

A vela, por sua vez, dependerá da sua regulagem – muito folgada, corretamente trimada ou muito caçada – para ajudá-lo a perseguir sonhos, fazer manobras ousadas, escapadas sensacionais, brincar com o vento em um jogo de amizade e respeito digno de elementos tão poderosos. Seus dois melhores amigos são o seu combustível, o destino é você quem traça.

Na escolha do veleiro, um encontro com seu novo estilo de vida

Depois de uma semana estressante, reunir os companheiros em torno da vela é repor as energias da melhor forma possível. Passar um dia no mar, com todo o conforto que você merece, deixando o sal do oceano impregnar sua vida de natureza, remete a um passado em que o mundo andava mais devagar. Nada melhor para completar o clima do que um veleiro clássico como o K8 da Kalmar, um barco day sailer inspirado nos mais conceituados designs da década de 50. O visual retrô já se tornou referência nacional – e neste caso, ele está longe de ser só um mais um rostinho charmoso.

Projetado para passeios diurnos e capaz de fazer pequenas travessias, o K8 tem um cockpit amplo, capaz de abrigar confortavelmente até 5 pessoas, inclusive crianças e não-velejadores. O veleiro pode ser facilmente navegado por apenas duas pessoas, mas com pequenas adaptações no layout fica apto a passeios solo com a mesma desenvoltura. O motor de centro, por outro lado, torna a navegação ainda mais segura e confortável.

Em meio a tudo isso, no entanto, o clássico K8 ainda tem o charme irresistível da madeira, com espelho da popa laminado e envernizado e a proa lançada em linhas clássicas. Abaixo da linha d’água, quilha longa e leme leve, a combinação perfeita para singrar ondas e pegar velocidade.

Quer saber mais sobre o K8, seu próximo companheiro de aventuras? Clique aqui e descubra tudo sobre ele!